Oitavo

tão e que tal a prenda de natal atrasada do governo?

8 de Janeiro de 2016, às 23:39link do post comentar ver comentários (1)

E no primeiro de Outubro

depois de um mês a vergar a mola como se não houvesse amanhã, termina-se em grande com um dia inteirinho de trabalho non-stop.. são cinco da manhã e ainda não acabou.

 

ando cum camadão de strek em cima, que já nem digo coisa com coisa, preciso de pelo menos duas semanas de férias nas caraíbas (hint hint!) para curar isto :D

 

em casa já não há roupa lavada e devia ponderar seriamente em contratar uma empresa de limpezas industriais para tratar do assunto: o chão tem uma camada de pó como nunca se viu e tufos de pêlos que devem estar prestes a ganhar vida própria.. also, tenho a vaga ideia de ter comprado um sofá cinzento, não bege. só não tenho uma pilha de loiça até ao tecto porque temos jantado fora várias noites.

 

acho que o meu homem e o meu gato fazem anos hoje mas pode ser apenas o meu cérebro a pregar-me partidas por causa da privação de sono, 

 

 

 

tá jeitoso :D

1 de Outubro de 2014, às 05:05link do post comentar ver comentários (1)

A modos que é isto...


1 de Fevereiro de 2014, às 15:44link do post comentar ver comentários (6)

Parece que a Primavera começa hoje

 

acordem-me quando a hora mudar, no último dia do mês :D

20 de Março de 2013, às 13:21link do post comentar

Chegou Fevereiro

1 de Fevereiro de 2013, às 14:07link do post comentar ver comentários (4)

Faith in the system...

não é novidade que vivemos num pais burocrático, disfuncional, desorganizado e colado com fita-cola, onde facilmente se parte do princípio que nada funciona realmente bem.. novidade é quando as coisas funcionam!

 

por exemplo. no mês passado o BES emitiu-me um cartão de débito novo. quando o recebi, a minha principal preocupação era actualizar a via verde, pois passo todos os dias pelas portagens da 25 de abril e não queria ter o semáforo e a sua companheira corneta a anunciar ao mundo que sou caloteira (been there, done that). além disso, aquela zona costuma estar minada de policias e não me apetecia ser mandada parar sem necessidade (já os vi serem caçados por esse motivo).

 

mas esqueci-me de fazer isso antes do fim do mês e no primeiro dia útil de dezembro pedi um milagre aos santinhos, que ao passar pela portagem acendesse o verde.... e não é que aconteceu mesmo?? muhahaha o sistema não deve estar actualizado w00t 

 

...mas não abusemos da sorte, pensei, à hora de almoço dou um saltinho até à loja da via verde para me explicarem como fazer a mudança que já não me lembro como é que aquilo é feito. mas da teoria à prática vai um longo caminho, e por acaso no dia seguinte, ao passar novamente pela portagem, o semáforo voltou a acender o verde. damn, i must be on a roll!

 

nessa tarde tentei ir à loja mas a fila de pessoas com ar entediado desencorajou-me.. e no dia seguinte a mesma coisa. não tenho paciência para secas desnecessárias (até porque podia resolver o assunto por telefone) e o semáforo continuava ser amigo.. quando de repente, ocorreu-se-me um pensamento peregrino:

 

será que o banco tinha tratado do assunto por mim? seria possível uma entidade que tem como principal objectivo depenar os clientes, ter essa preocupação no serviço que presta?

 

depois de uma rápida consulta ao homebanking, o hóme confirmou-me que os movimentos da via verde tinham sido automaticamente migrados para o cartão novo... e também dá para fazer a associação ao identificador por lá, se for caso disso... zomg!

 

Trinta e Três

volvidos 15 anos após ter dado oficialmente entrada na vida adulta, olho para trás e...

 

 

consegui alcançar praticamente tudo aquilo que almejava para o meu futuro em jovenzinha. diga-se de passagem que não era muito exigente, vá.. mas imaginava-me feliz da vida, dona de um apartamentozito, um trabalho que gostasse, um carrito para dar as minhas voltinhas sem prestar cavaco a ninguém e bonus points se conseguisse sair da província e ir viver prá capital (o meu fetiche da altura). arranjar gajo era opcional (não esperava grandes milagres da vida muhahaha)

 

e fico pasma por ver que consegui tratar disso tudo e mais qualquercosinha ainda durante os vintes, devo ter sido boa pessoa na vida anterior e esta é a minha recompensa, só pode! mas não.. nem tudo foram rosas, houve muito dente arrancado pelo cú (ter ar de chavaleca nem sempre é positivo - às vezes não nos levam muito a sério.. e o hóme sofre do mesmo problema). houve sim muito esforço, determinação, firmeza e sobretudo paciência para enfrentar os chiliques do destino.. 

 

..isso e ter conseguido filar uma jóia de moço para me fazer companhia durante a viagem!

 

portanto, o grosso dos meus objectivos de vida foi alcançado e apesar de estar bastante satisfeita pelo feito, chego aos 33 e penso "...e agora, caralho??" 

 

realmente.. o ser humano só à porrada :D

 

pois é.. agora tenho que tratar de filtrar a batelada de coisas que gostava de fazer, decidir no que apostar e esforçar-me por conseguir, que a vida de adulto é complicada e eu sou dada a grandes desvaires!!

26 de Outubro de 2012, às 20:49link do post comentar

Zürich OpenAir I

às seis da tarde, calçamos as nossas galochas e metemo-nos a caminho de rümlang \m/ 

 

apesar de irmos apenas a um dos dias do festival, também tivemos direito à pulseirinha. muito simpática esta decisão deles, pois permitia-nos sair e voltar a entrar no recinto caso precisássemos (aconteceu, tivemos que ir ao aeroporto comprar pilhas, p#%@ da A510). fomos então enfaixados com uma tira de nylon "derretida" à medida do nosso pulso (provavelmente a pulseira de festival mais inviolável de sempre) e SIGAAAAA!

welcome!!

 

era a primeira vez que ia a um festival de música fora de portugal, é escusado dizer que estava morta de curiosidade he he he isso e com os óculos 3D que estavam a distribuir à entada :D

 

a primeira coisa que constatei quando entrei no recinto foi que as fotos que andei a ver dos anos anteriores não eram nada exageradas:

 
yep, a noite prometia :D

 

volta de reconhecimento. o recinto não era muito grande, mas estava muito bem amanhado. haviam dois palcos enormes praticamente lado a lado, quase gémeos, mas a sua utilização era alternada: enquanto num decorria um concerto, no outro montava-se o material para o seguinte. very clever!

depois haviam os espaços cobertos, que davam um jeitaço quando começava a chover: o "circo" e três "discotecas", duas delas com DJ set.

 

quiosques de comida em três zonas distintas, com uma variedade interessante (pizzas, hamburgers, bifanas, cachorros, chilli, nachos, fish n' chips, thai, noodles, comida biológica, waffles, crepes, fruta, leite e derivados (AWESOME), bebidas etc), casas de banho DECENTES, limpas, com sanita, mini-lavatório para as mão, e papel higiénico (algo que até hoje só vi nos wcs das zonas vips).

descobrimos também que o festival tinha moeda própria, o "money", e se queríamos consumir lá dentro, tínhamos que cambiar. trocámos uma nota de 50 CHF por um cartão com 20 fichas (tokens) destacáveis (o que significava que a coisa mais barata no festival custava 2,5CHF). e se não gastássemos todas, podíamos sempre voltar a trocá-las por dinheiro. gostei da ideia!

não havia lixo praticamente nenhum pelo recinto. razão? cada vez que se compra uma bebida, esta era servida num copo decente (ok, de plástico, mas rígido) e existia uma caução de 1 token. quando acabávamos a bebida, bastava devolver o copo para reaver o tokenand again, very clever

 

eles até lidam bem com a questão da lama. nas áreas comerciais e demais instalações, assim como corredores de acesso entre estas e os palcos, havia soalho em madeira e em frente aos palcos, estrados de plástico. 

 

fora dessas zonas, parecia (há que dizê-lo com frontalidade) uma autêntica pocilga ao ar livre muhahaha e era preciso ter cuidado quando se atravessava aquele pântano, pois quedas aparatosas aconteciam com alguma frequência (espectáculo que só por si, quase fazia valer o dinheiro do bilhete loll).

Untitled

 

in fact, a lama era uma espécie de fashion statementfazia parte da indumentária. a grande maioria calçava galochas, mas havia muito corajoso de botas, ténis, e até havaianas.

mais umas quantas voltas por lá e assentámos para jantar, antes que começassem os concertos que queríamos ver. dividimos uma pratada de chilli com nachos picantes e uma fatia de pizza (deliciosa, btw).

 

por azar, o dorfmeister colidia com orbital e só consegui ouvir os primeiros minutinhos :(

 

o concerto de orbital foi um bocado bipolar, entre o WOW e o YUCK. é que aqueles dois sacanas volta e meia encaixavam lá umas batidas de dubstep do álbum novo.. (BLARGH!!) quer dizer, um som à maneira, daquele que até arrepia os pelinhos todos, maculado por aqueles guinchos electrónicos horrorosos.. NOT FUNNY!

orbital

 

deixámos orbital a uns 15 minutos do fim porque queríamos arranjar um lugar próximo do palco para ver kraftwerk. o mais incrível da orientação (lado a lado) daqueles palcos monstruosos, é que em frente a um deles, não se ouvia o som do outro.. impressive, most impressive

 

as 23h45 depressa chegaram, e kraftwerk começaram a bombar som à hora marcada.. GYYYAAAAAAAAAAAAAAAAAAH!!! nem queria acreditar que aquilo estava mesmo a aconteceeeeeeeer!!! :D :D :D

the robots


um a um foram revivendo os clássicos, remixados e refinados ao longo de 42 anos, num setlist similar ao do concerto que assisti em 2004, com a diferença que optaram pela a versão alemã das músicas. os grafísmos eram projectados em 3D (yep, era para isso que serviam os óculos que andavam a distribuir :D) e de vez em quando a malta levava com um satélite ou outra coisa qualquer por cima e gritava em uníssono "wwooooooooooooohh" brutal!

IMG_4037 IMG_4010 IMG_4014 IMG_3990 IMG_3985 IMG_4125


o palco até era alto, mas a inexistente inclinação do terreno e os camónes serem todos umas torres foi uma combinação quase fatal, passei o concerto quase todo em bicos dos pés ou a desviar-me de um lado para o outro, até que às tantas afastei-me um bocado mais para trás e resolvi a questão.

 

e ali estava eu, enfiada num lamaçal a dois mil quilómetros de casa, de poncho prá chuva vestido, galochas nos pés e uns óculos 3D na tromba, perfeitamente alinhada com o palco, a ouvir a última música do concerto - music non stop - com um som perfeito..

 

...MAN!!

'Le me

tem idade suficiente para ter juízo, embora nem sempre pareça. algarvia desertora, plantou-se algures na capital, e vive há uma eternidade com um gajo que conheceu pelo mirc.

no início da vida adulta foi possuída pelo espírito da internet e entregou-lhe o corpo a alma de mão beijada. é geek até à raiz do último cabelo e orgulha-se disso.

offline gosta muito de passear por aí, tirar fotografias, ver séries e filmes, e yada yada, yada... é ler o blog ;)

bucket list

'Le liwl

era uma vez um blog cor-de-rosa que nasceu na manhã de 16 de janeiro, no longínquo ano de 2003, numa altura em que os blogs eram apenas registos pessoais, sem pretensões de coisa alguma. e assim se tem mantido.

muitas são as fases pelas quais tem passado, ao sabor dos humores da sua autora. para os mais curiosos, aqui ficam screenshots das versões anteriores: #11 #10 #9 #8 #6 #5 #4

seguir nos blogs do sapo

Follow follow us in feedly