Salada Coleslaw

adoro couve crua. a-d-o-r-o!! não tem explicação.. e que melhor desculpa para consumir este humilde vegetal, se não numa saladinha coleslaw?

existem montes variantes, mas a base tem *sempre* que ter couve, se não, não é coleslaw. o resto dos vegetais pode variar, por exemplo, pode-se usar cebola, pimento, e até maçã. para o molho também existem mil e uma variantes. é preciso experimentar umas quantas até descobrir qual é a vencedora. a minha favorita não leva maionese, aviso já!

então, para três ou quatro pessoas (ou duas gulosas), precisamos de, 

1/4 couve roxa 
1/4 couve branca
1 cenoura grande

e para o molho:

200 gr de iogurte grego natural
1 colher de sopa mel
1 colher de sopa de vinagre de sidra
1 colher de sopa de limão
1 colher de chá de mostarda dijon (opcional)
sal e pimenta preta moída q.b.

i know, right.. sinceramente também acho um milagre uma mixórdia destas funcionar.. mas funciona, prometo lol

como fiz durante o fim-de-semana, tive tempo para fazer uma apresentação toda pipi. behold,

salada de bacalhau

usar uma faca afiada, ou uma mandolina, ou um robot de cozinha para cortar finamente a couve em juliana, e ralar a cenoura. botar tudo numa taça alta.

noutra taça, misturar todos os ingredientes do molho. se forem medricas cautelosos como eu, vão querer fazer isto aos poucos. primeiro coloco aquilo que sei que não falha, o iogurte e o mel. o resto vou adicionado em pequenas quantidades e testando o sabor do molho à medida, para me certificar que não exagero em nenhum ingrediente, pois se tal acontecer, pode ser uma dor de cabeça para compensar.. uma vez exagerei no vinagre e não foi fixe.. anyway, é quase certo que vão ter que afinar as quantidades dos ingredientes, portanto aquelas que descrevi na lista são meramente indicativas, sorry about that..

mexer muito bem a mistela com uma vara de arames/batedor, e quando estiver no ponto, envolver com os vegetais. costumo usar as mãos, como uma selvagem :D

salada de bacalhau

antes de atacar a salada, convém deixá-la descansar no frigorífico pelo menos meia-hora, para o molho amolecer a couve. et voilà!

salada de bacalhau

yummy :D''''

ah é verdade.. depois de enfardar esta deliciosa iguaria, existe uma pequena probabilidade de ficarmos com a actividade intestinal aumentada. é totalmente natural e inofensivo (excepto talvez para o nosso olfacto, e o de quem nos rodeia lol). fyi, couve é dos vegetais mais saudáveis que podemos fornecer ao nosso corpinho. vale a pena sacrificar o nariz!

18 de Setembro de 2017, às 10:00link do post comentar ver comentários (1)(2)

Salada de Bacalhau com grão e espinafres

esta receita foi inspirada num prato que o homem comeu à uns tempos num restaurante da moda, e que se tornou imediatamente um clássico cá em casa.

já é mais refeição que acompanhamento ou entrada. a quantidade de ingredientes a utilizar é um bocado a olho, e depende do número de pessoas que a refeição servir. para este exemplo, a dose dá para duas pessoas.

folhas de espinafre
lombos de bacalhau (pode ser qualquer parte, mas o lombo é mais fácil de lascar)
frasco de grão (porque sou demasiado comodista para demolhar o grão e acredito que vocês também são :D)
ovos
azeitonas pretas
azeite
vinagre balsâmico
pimenta moída no momento

cozer um lombo generoso (ou dois somíticos) de bacalhau e um ovo (ou dois, your choice). quando a cozedura terminar, lascar o bacalhau (com cuidado para não queimar os dedos), e fatiar ou cortar os ovos em quartos.

entretanto passo sempre o grão por água, faz-me impressão aquele liquido meio gelatinoso onde aquilo vem. para duas pessoas, meio frasco costuma ser suficiente.

numa taça, juntar o grão, o bacalhau, e as azeitonas a gosto. se não as comprarem descaroçadas e fatiadas, vão ter esse trabalho extra. temperar com azeite, vinagre, e pimenta moída (não costumo usar sal, mas suponho que seja opcional), e envolver tudo com muito cuidado para não desfazer as lascas de bacalhau.

se compraram espinafres em pacote, parabéns podem passar à etapa seguinte. se compraram um molhe, vão ter que lavar os bichos muito bem lavadinhos, e depois cortar as folhas pelo pé. a única desvantagem de comprá-los em sacos, já prontos a usar é que temos que gramar com os pés.. a preguiça é uma cena lixada lol

por fim, num prato fundo, fazer uma cama com as espinafres (crús, sim!!!), e botar a mistela por cima, mais os ovos. finalizar com mais azeite e vinagre se for necessário (fixe para temperar os espinafres).

salada de bacalhau

that's it!

16 de Agosto de 2017, às 13:46link do post comentar ver comentários (3)(2)

Salada Caprese

eis um clássico italiano, entrada perfeita para qualquer ocasião, a base da finger food de qualquer evento social, yada yada.. para mim é só a mais genial das saladas, porque com três ingredientes apenas, oferece um mundo quase infinito de possibilidades de apresentação no prato (basta googlar para confirmar que não existem duas iguais), e todàgente sabe que os olhos comem mais que a barriga!

já sabemos que o que interessa sempre é a frescura e qualidade dos singelos ingredientes que a compõem. precisamos de, 

tomate
mozzarella fresca
folhas de manjericão

that's it!

oh wait,

azeite
vinagre balsâmico
sal marinho
pimenta preta moída no momento

e agora libertem o artista que há em vocês, e montem essa salada como nunca antes se viu!!

como gosto de inventar, nesta ocasião utilizei só coisas minúsculas: bolinhas de mozzarella, tomate cherry, e umas micro folhas de manjericão que existem à venda do supercor (aquele supermercado dá cabo da minha carteira de mim).

salada caprese

ficou tão amorosa... e deliciosa :D'

6 de Agosto de 2017, às 13:08link do post comentar ver comentários (3)

Salada Montanheira

sou grande fã de saladas, especialmente agora verão. com o calor, às vezes não me apetece comer mais nada se não salada. vivia bem estes três meses só a saladas e peixinho assado no carvão. ai mãezinha... *droooools*

tão, a modos que vou deixar aqui umas receitas das minhas saladas favoritas. e vou começar com uma que cresci a comer. umas vezes assim, outras generosamente regada de água geladinha ou com pedras de gelo.. mas essa já cai na categoria de sopa, e não é isso que se pretende agora.

a salada montanheira é uma das muitas iguarias típicas dos algarves (ainda que levemente inspirada no gaspacho alentejano - ou será ao contrário?) profundos, onde as gentes são peritas em arranjar truques para aguentar melhor os calores do verão.

preparar esta despretensiosa e fresca saladinha, que acompanha qualquer prato não tem nada que saber. precisamos de,

1 tomate
1 cebola pequena (ou meia)
1 pepino pequeno (ou meio)
1/4 pimento verde
1/4 pimento vermelho
oregãos
sal marinho (daquele artesanal, cultivado à moda antiga em salinas algarvias)
azeite (extra-virgem, biológico, prensado a frio)
vinagre (de espumante... lol não liguem, tou só a ser pedante com os temperos por razão nenhuma muahahah)

este é um daqueles casos em que o sabor está totalmente dependente da qualidade dos ingredientes utilizados, por isso, tragam estas coisinhas do mercado (ou cravem àquele vizinho porreiro que tem uma hortinha) que não se vão arrepender. ah, e atenção às quantidades, se não, ficam com salada para uma semana.

é só picar tudo aos cubinhos (btw, costumo remover as sementes do tomate), meter para dentro de uma taça, temperar a gosto, remexer, repousar uns momentos do fresquinho do frigorífico, para os sabores se misturarem, e já tá!



agora a sério isa.. porqué que alguém havia tar com esse trabalho todo de picar vegetais, quando podia simplesmente fatiar as cenas, atirar para dentro de uma travessa e temperar? que crl de diferença faz a salada estar picada??

epá, faz!! como é que de outra forma, conseguíamos comer salada à colherada? impossível! nunca comeram salada à colherada? não sabem o que andam a perder.. é tipo, brutal!

e agora deixai de ser preguiçosos, e ide comer salada à colherada!!

1 de Julho de 2017, às 14:59link do post comentar ver comentários (8)(4)

'Le me

tem idade suficiente para ter juízo, embora nem sempre pareça. algarvia desertora, plantou-se algures na capital, e vive há uma eternidade com um gajo que conheceu pelo mirc.

no início da vida adulta foi possuída pelo espírito da internet e entregou-lhe o corpo a alma de mão beijada. é geek até à raiz do último cabelo e orgulha-se disso.

offline gosta muito de passear por aí, tirar fotografias, ver séries e filmes, e yada yada, yada... é ler o blog ;)

bucket list

'Le liwl

era uma vez um blog cor-de-rosa que nasceu na manhã de 16 de janeiro, no longínquo ano de 2003, numa altura em que os blogs eram apenas registos pessoais, sem pretensões de coisa alguma. e assim se tem mantido.

muitas são as fases pelas quais tem passado, ao sabor dos humores da sua autora. para os mais curiosos, aqui ficam screenshots das versões anteriores: #11 #10 #9 #8 #6 #5 #4

seguir nos blogs do sapo

Follow follow us in feedly