Cenas de gatos

sempre quis ter um gatinho com pêlo comprido. acho-os super hiper ultra mega fofos. um gatinho de pêlo comprido olha para mim, e eu morri instantaneamente. não existem muitas sensações que superem a de enterrar os dedos no coiro dum gatinho farfalhudo. um gatinho de pêlo comprido faz de mim sapato.

mas gostava de ter tido umas luzes sobre aquilo que me esperava.

por exemplo, que havia a possibilidade de ser alérgica ao pêlo do gatinho, porque nunca tive nenhum com pêlo comprido (tem muito mais superficie para largar saliva), que ainda por cima passasse tanto tempo fechado em casa.

e que por mais vezes ao dia aspire, ou que por mais quilómetros de papel peganhento use, está sempre tudo. coberto. de. pêlo!!

também gostava de ter sido preparada para a eventualidade de ter que puxar tarolos que ficam presos a meio da saída, e que deixam o gatinho aos berros pela casa, aflito porque não consegue ver-se livre daquilo pelos próprios meios. e os humanos arriscam a vida para lhe puxar aquilo para fora, porque apesar de estar aflito, o gatinho não facilita NADA a tarefa de desentupimento.

fora os picassos desenhados a "giz castanho" que encontro no chão branco da casa, porque o gatinho não tinha ninguém para ajudá-lo e andou a raspar o cú pelo chão, para se libertar do tarolo.

(suspeito que estes são os horrores que ninguém gosta de contar, para não quebrar a magia dos gatinhos de pêlo comprido)

e que há alturas do ano em que o gatinho de pêlo comprido larga quantidades realmente absurdas de pêlo, as meias estações. 

isto do pêlo podia ser um não-problema.. se eu tivesse um gatinho atinado. mas não tenho,

o meu gatinho ODEIA ser escovado. já experimentei três tipos diferentes de escovas e o resultado é sempre o mesmo, dois humanos adultos enervados, com os braços todos esquartejados, e um diabo da tasmânia - perdão, um gato furioso, a bufar por todos os lados.

o meu gatinho ODEIA malte. malte só forçando, com ajuda de uma seringa, e é uma tourada à mesma. isto não é fixe quando o dito gatinho está sob uma dieta de malte três vezes por semana, por ordem do vet, porque vomita charutos de pêlo com muita frequência, e às vezes fica meio grogue e prega-nos sustos.

o meu gatinho ACHA que as ervas que eu lhe compro são para ele praticar os seus dotes de jardinagem - muito maus, por sinal.. pois dá cabo da plantação em menos de nada, e nem prova o raio das ervas.

e o pêlo do meu gatinho nem sequer é comprido, é semi-comprido.. isto faz-me pensar seriamente se gatinhos com pêlo realmente longo, como estes dois, são para mim..

não são, pois não?

11 de Abril de 2017, às 13:18link do post comentar ver comentários (8)

Pancas da serigata X

é um ritual. sempre que abro o wc da gatifonga para fazer manutenção, ela pára tudo o que estiver a fazer naquele momento e vem-se colar a mim, a controlar atentamente aquilo que estou a fazer.

quando vê que estou prestes a terminar, e antes que eu tenha oportunidade de fechar o wc, salta lá para dentro e
esgravata a areia obsessivamente, até não restar 1cm3 por inspeccionar.. e no processo mandado quase metade da areia para fora do tabuleiro :P

ainda não percebi o que a leva a fazer isto.. será que está a verificar se fiz um bom trabalho, ou será que entra em pânico por lhe terem roubaram os "tesouros", e anda à procura de algum que tenha escapado?

gatos...

5 de Abril de 2017, às 10:00link do post comentar ver comentários (3)(1)

Mini-férias de carnaval

este ano tivemos pela primeira vez despensa na terça de carnaval. aproveitamos para tirar a segunda e fazer umas mini-férias na serra, para ver se a cabeça faz reset.

só não estávamos a contar que portugal INTEIRO tivesse tido a mesma ideia... não, não sabíamos que o carnaval é a pior altura para ir para serra da estrela.. magotes de gente por todo o lado, restaurantes e cafés sempre à pinha, e trânsito medonho. já lá fomos umas quantas vezes, e em diferentes alturas, e nunca me tinha deparado com tal cenário.

na primeira tentativa para subir à torre, que o dia estava bonito e prometia umas horas fixes na neve, ao chegar ao centro de limpeza, olho para cima e começo a ver os carros a abrandar praticamente no inicio da subida. "aquilo é uma fila, a começar ali logo na curva???" pergunto ao homem. era.. tudo parado na encosta da montanha.. nope, nope, nope. temos tempo, siga dar a volta ao monte e entrar pela porta dos fundos. ah ah ah que ideia tão boa, aqui não há filas!!

até que o manto branco apareceu no horizonte, e com ele a confusão. acabámos por nem sair do carro. quase 1h para fazer 2km.. tanta, tanta gente. quando finalmente começamos a descer, fiquei surpreendida por não estar fila para cima. motivo, tinham fechado o acesso à torre no centro de limpeza. fónix...tal na era!



só lá voltámos na terça, no último dia na serra. estava com fé que as nuvens estivessem baixas e que ia chegar lá a cima e estava um dia azul de primavera. mas não, não se via a ponta dum corno por causa do nevoeiro. tava frio e uma ventania do caneco, mas mesmo naquelas condições, andava montes de gente a tentar divertir-se na neve.

passamos pelas paisagens do costume e ainda deu para visitar duas aldeias, que estavam há muito marcadas no mapa, folgosinho e linhares. nunca tínhamos ido para aquela zona da serra e ficamos deslumbrados com a paisagem. pena que as nuvens decidiram assentar arraiais e tiravam a visibilidade. passamos pelo covão da ponte, banhado pelo rio mondego, outro daqueles recantos preciosos da serra, que merece definitivamente uma visita mais demorada.  



a gatifonga foi connosco, que o homem queria levá-la a passear na natureza. desta vez não chegou a ir à neve, que as condições não estavam para isso. mas andou pelas penhas douradas e pelo covão da ametade, e não me pareceu muito chateada :D


a sacana porta-se mesmo bem a andar de carro. vai o tempo todo deitada no colo do homem, a dormitar, ou no banco de trás. não mia, não bufa, não chateia. e aguenta horas sem stresses.

encontramos um gato igualzinhho a ela em folgosinho, apenas mais gorducho. nessa altura não estava connosco mas havia de ser giro metê-los lado a lado he he he

álbum completo no sítio do costume

Pancas da serigata IX

tive oportunidade de observar o momento de contemplação da gata no chuveiro e formulou-se-me uma teoria (da conspiração):

devido ao facto do chuveiro ser o local mais húmido da casa, é provavelmente onde consegue melhor recepção para comunicar com as autoridades do planeta dela, a quem reporta as actividades diárias dos humanos. faz sentido, não faz?

Untitled

"tou concentradíssima, sócia. you can go about your business..."

(não façam caso, isto sou eu a tentar esquecer-me que desperdicei um fim-de-semana brutal.. outra vez!!)

24 de Janeiro de 2016, às 23:44link do post comentar ver comentários (2)

Pancas da serigata VIII

alguém me explica, porque é que quando acabamos de tomar banho, a gata vai-se enfiar dentro do chuveiro?

não está só totalmente húmido como está molhado. fica lá moooontes de tempo a encharcar-se de água e depois espatinha-me a casa toda!


já lhe deve ter passado o trauma, daquela vez que nos fechamos os três lá dentro. eu e o homem em luvas de podar roseiras, que ela precisava de uma esfrega valente com mata-bixo e não queríamos ficar sem mãos e braços. nunca pensei que fosse capaz de voltar a meter lá as patas, mas pelos vistos...

14 de Janeiro de 2016, às 19:34link do post comentar ver comentários (4)(1)

Hoje

nada como acordar pela manhã e dar de caras com um "picasso" pintado no chão branco da sala.. a cocó!

não estava assinado, mas o "giz" no local denunciou a artista. arranja um gato de pêlo comprido, diziam-me, vai ser divertido diziam-me.. yeah, riiiiite!

12 de Janeiro de 2016, às 23:35link do post comentar ver comentários (3)

A melhor invenção dos últimos tempos

EU! 
PRECISO! 
DISTO!


a sério que preciso. quando boto as mãos na serigata, vou sempre de tromba apontada à cabeça dela. adoro enfiar o nariz naquelas bochechas felpudas, esfregar-me toda na carinha fofa dela e enche-la de beijos, especialmente em redor das orelhas. e não consigo parar, que o raio da fulana

 

CHEIRA. TÃO. BEM!

 

não é fácil descrever o aroma, mas parece quase talco.. doce, levemente almiscarado, mas muito suave e caloroso.. só sei que é viciante. quando começo a snifá-la não consigo parar, quase vomito arco-íris. ela não acha muita piada às doses massivas de mimo, mas perante a violência da minha compulsão olfactiva por ela, até acho que é bastante paciente e tolerante :D

nada disto seria um problema se eu não fosse alérgica ao pêlo. acabo sempre interrompida por uma comichãozorra que me apetece a arrancar o nariz ou uma salva de espirros, coisa que ela detesta e pira-se logo a milhas de mim.

esta água perfumada a cangote de gato, (que só podia ter sido) inventada pelos nossos amigos japoneses, que nutrem uma grande paixão por felinos, era a solução ideal: dava folga à bixa e às minhas vias respiratórias. espichava a casa toda com aquilo e...

 

BLISS!!!

11 de Dezembro de 2015, às 19:47link do post comentar ver comentários (4)

Pancas da serigata VII

a pancada dos gatos por caixas de cartão já não é novidade para ninguém. a minha não é diferente, também gosta muito de caixas. mas o que ela gosta mesmo é de sacos de plástico!

a coisa ganha contornos de obsessão. quando chego a casa carregada com sacos de compras, fica maluca. enfia-se dentro deles, rebola-se e lambe-os de alto a baixo. lambe com gosto e sofreguidão, a língua dela faz barulho ao deslizar lenta e firmemente pelo saco (friendly reminder: ainda estamos a falar de gatos, sim :D).

a sério que não compreendo onde está o fascínio, não me parece que o plástico dos sacos tenham grande sabor..

mas o pior ainda são aqueles sacos mais finos, que trazemos do supermercado com frescos e que eu (re)aproveito para os "torrões" que recolho do wc dela. esses não lambe, mastiga! é um perigo deixar-los à mão de semear, tenho sempre medo que ela coma os sacos e depois ainda me arranjar algum 31..

e pegar num saco todo babado? ca noijo, cabrão do gato XP

28 de Outubro de 2015, às 23:35link do post comentar

Pancas da serigata VI

não posso rir quando tenho a mádame refastelada no colo, quer esteja acordada ou a dormitar.

é raro o dia em que isto não acontece:

tou sentada no sofá com a bixa em cima, porque mal assento o coiro num sitio qualquer o resto da casa transforma-se em lava (querias um gato peganhento e agora queixas-te.. aguenta e não chora!). calha ver uma cena divertida na net ou na tv, ou o homem dizer uma piadola qualquer e desatar às gargalhadas..

..e é instantâneo! a tipa flipa-se da marmita e ferra-me um braço ou uma mão, qual dos dois estiver mais a jeito. chega a bufar-me e tudo.. depois salta pró chão e se for preciso ainda me crava os dentes nas pernas, e vai-se encolher a um canto, amuadíssima da vida dela, a olhar para mim como se lhe tivesse feito mal.

será que é porque não entende a piada?

não tem sentido de humor nenhum, cabrão do gato..

3 de Março de 2015, às 22:30link do post comentar ver comentários (2)

Pancas da serigata V

já sabemos que a nossa gatinha é o felino mais esquisito do universo conhecido - não quer saber da grandíssima maioria das latas de comida húmida que existem no mercado e muito menos toca (sabe zeus porquê) em fiambre, salchicha, frango, perú, ou camarão - coisas que deixavam qualquer um dos gatos que já tive malucos só com a ideia..

 

no entanto, não há insecto nenhum que entre em casa, sejam moscas, traças, pequenos gafanhotos, ou aranhas, que consiga sair daqui com vida. o raio da gata fica maluca e lança-se numa perseguição feroz que só termina no estômago dela, enquanto os donos se contorcem de aflição ao vê-la alambazar-se com a presa.. blargh, ca nojo!

 

mas...! já que ela é apreciadora de tais iguarias, sempre que topamos algum a entrar, chamamos logo a bixa para tratar do assunto e ela agradece. alimentação variada, é o que se pretende :D

5 de Outubro de 2014, às 20:32link do post comentar ver comentários (2)

'Le me

tem idade suficiente para ter juízo, embora nem sempre pareça. algarvia desertora, plantou-se algures na capital, e vive há uma eternidade com um gajo que conheceu pelo mirc.

no início da vida adulta foi possuída pelo espírito da internet e entregou-lhe o corpo a alma de mão beijada. é geek até à raiz do último cabelo e orgulha-se disso.

offline gosta muito de passear por aí, tirar fotografias, ver séries e filmes, e yada yada, yada... é ler o blog ;)

bucket list

'Le liwl

era uma vez um blog cor-de-rosa que nasceu na manhã de 16 de janeiro, no longínquo ano de 2003, numa altura em que os blogs eram apenas registos pessoais, sem pretensões de coisa alguma. e assim se tem mantido.

muitas são as fases pelas quais tem passado, ao sabor dos humores da sua autora. para os mais curiosos, aqui ficam screenshots das versões anteriores: #11 #10 #9 #8 #6 #5 #4

seguir nos blogs do sapo

Follow follow us in feedly