Tempo vs Prioridade

há uns tempos tropecei numa citação do wall street jornal que atingiu como um bofetão na tromba,

Instead of saying "I don't have time" try saying "it's not a priority," and see how that feels. Often, that's a perfectly adequate explanation. I have time to iron my sheets, I just don't want to. But other things are harder. Try it: "I'm not going to edit your résumé, sweetie, because it's not a priority." "I don't go to the doctor because my health is not a priority." If these phrases don't sit well, that's the point. Changing our language reminds us that time is a choice. If we don't like how we're spending an hour, we can choose differently.

basicamente, é substituir o "não tenho tempo" por "não é uma prioridade". o ser humano é perito em arranjar artimanhas para não enfrentar a realidade, e a linguagem é nossa cúmplice. mas se fizermos alguns ajustes, a coisa muda imediatamente de perspectiva. porque quando dizemos que "não tempo tempo", estamos a arranjar uma desculpa, mas quando dizemos "não é uma prioridade", estamos a fazer uma escolha. a frustração vem a seguir, quando aplicamos a teoria na prática...

por exemplo, tenho uma porrada de exames para mostrar ao médico que os pediu, só tenho que ir levantá-los e marcar a consulta. não custa nada, não demora, porque raio não arranjo tempo para isto? porque não "é uma prioridade"? fdx, claro que é!! é a minha saúde crl!! e cada dia que deixo passar, o sentimento de culpa dobra, porque admito que esta situação é fruto da minha má gestão de tempo e prioridades :P

claro que isto não se aplica a tudo, mas é um bom exercício, para analisarmos se estamos a dar bom uso ao nosso tempo - que btw, é escasso e precioso.

20 de Fevereiro de 2017, às 01:50link do post comentar(1)