Trilho dos Pescadores // dia 0

a mochila era a mãe das minhas preocupações e o recheio foi afinado ao pormenor, não queria carregar mais do que 5kg às costas. normalmente ando com metade disso e já me custa.

não levava praticamente roupa nenhuma, apenas dois pares de leggings, uma blusa de manga comprida e três de manga curta (duas para caminhar, uma para dormir), e meia dúzia de peças de roupa interior. o resto ia logo vestido, as calças de caminhada, outra blusa de manga comprida e o casaco polar.

corta-vento, poncho prá chuva, chapéu, gorro, luvas, um par de havaianas, e a bolsa de toilete compunham o resto da carga base. com dois litros de água ficava no limite. uma monstruosidade mas não dava para levar menos (ou era o que eu pensava).

o homem para além da roupa e chinelos acartava com as electrónicas (GPS, carregador dos telemóveis, pilhas, lanterna), medicamentos e algum material de primeiros socorros, toalhitas, um saco de biscoitos e outro de frutos secos que foram logo de casa. a mochila dele ainda era mais pequena que a minha, não sei como é que ele conseguiu enfiar tanta coisa lá dentro lol

saímos de casa às quatro da tarde, e às oito da noite o expresso finalmente chegou no nosso destino, porto covo.

não viajava de expresso há mais de 10 anos e não tinha saudades nenhumas.. três horas para fazer aquilo que levo no máximo 1h40m.. dasse! mas pronto, era a única opção directa que havia para lá. e já vais com sorte!

em porto covo ficamos alojados num hostel muito fixe, onde o proprietário nos deu umas dicas valiosas para cortar uns km’s ao trilho (e que eu na altura achava que não ia precisar AH AH AH) e sítios porreiros para comer. avisou-nos também que o tempo não ia estar particularmente fantástico nos próximos dias, mas essa parte já eu sabia.

depois de acomodados partimos em busca de jantar. rapidamente descobrimos que segunda-feira é um mau dia para aterrar em porto covo.. estava tudo fechado, apenas uma pizzaria aberta a servir as poucas pessoas que por ali andavam. will do!

não tardamos muito a ir prá cama, que o dia seguinte era para começar bem cedo.

aliás, o maior desafio para os dias que se seguiam era só um: acordar a horas decentes para nos fazermos ao caminho sem pressas. tipo, começar por volta das 9 da manhã.. AH AH AH AH que piadão!

o homem ainda se entreteve a sacar uns torresmos no meu telemóvel para vermos antes de dormir, que isto de se viajar leve não significa que não se consiga ter alguns luxos :D

 

caminhar para o dia 1 >