Trilho dos Pescadores // dia 5

odeceixe > azenha do mar

...e como eu não gosto de assuntos inacabados e 8km, para quem já tinha andado 80 não eram nada. e porque estávamos frescos, e felizes, e encharcados de adrenalina.. PQP, se não íamos terminar a nossa missão!!

combinei com os meus pais & sis para nos irem buscar a azenha em vez de odeceixe. assim nós acabávamos o trilho, e de seguida comemorávamos todos com uma bela arrozada de marisco, que por acaso já estava prometida há uns meses. era win-win!

deixámos o moinho depois de um belo pequeno-almoço e dois dedos de conversa com as nossas vizinhas suecas. bora lá terminar isto!

Untitled

Untitled

o windguru estava dar chuva a partir das 3 da tarde, mas a essa hora, já lá teríamos chegado, se caminhássemos a bom ritmo. e foi o único dia em que se enganou.

fomos sempre acompanhados pelo, sol. chuva, nem vê-la, apesar nas nuvens com ar ameaçador lá ao fundo no horizonte. encontramos montes de gente pelo trilho fora, pareciam caracóis a sair debaixo das pedras depois de uma valente carga d’água.

Untitled

foi o dia que apanhamos mais pessoal pelo trilho. o homem ia continuando o seu recenseamento. de onde são, estão a gostar, onde vão ficar, dicas para comer, etc.
não apanhamos um único tuga naqueles 5 dias. fartura de alemães, suecos, noruegueses, ingleses e até um casal de australianos. tudo pessoal super bem-disposto, contente por estar ali naquelas paragens e a adorar o passeio. tal como nós.

"what about you, where are you from?"
"we're from portugal"
a expressão deles quando se apercebiam era impagável lol

quando alcançamos a azenha novamente eu era uma gaja feliz!
tinha conseguido terminar aquela provação sem ter desistido de nenhuma das etapas, como me apetecia quase todas as manhãs. pode parecer ridículo porque 88km em 5 dias seguidos não é nada de especial para quem faz caminhada ou mesmo corrida à séria. mas para quem não está habituado, é uma brutalidade.

Untitled

e ainda assim, a minha vontade naquele momento era continuar por ali a cima e voltar a reviver todas aquelas etapas, cada uma mais dolorosa quem a seguinte, mas com um sorriso estúpido na cara só por estar ali.

é que passar dias inteiros simplesmente a caminhar é uma terapia como deve haver poucas, sentimo-nos parte da natureza, e o estado de paz e calma interior que isso proporciona. não se pensa em nada realmente, só naquilo que os nossos olhos estão a ver, os sons que ouvimos, e nos cheiros que nos entram pelo nariz.

e o ar puro..

esta experiência foi das mais fisicamente exigentes e ao mesmo tempo, das mais gratificantes que alguma vez tive. descobri que a força de vontade é uma algo muito poderoso e faz-nos alcançar o que parece impossível, quando parece impossível. é só meter a mente nisso.

o corpo é de facto uma máquina incrível. as pernas não paravam, apesar de por vezes achar que já não aguentava dar outro passo em frente. como é que eu conseguia continuar a mover-me era um fenómeno que me ultrapassava.

Untitled


fiz-nos prometer ali mesmo que havíamos de repetir o trilho, e aproveitar para poder meter em prática tudo aquilo que ele nos ensinou.

pareço um disco riscado por estar sempre a dizer isto, deve ser porque tenho esperança que algum dia dê ouvidos a mim mesma:

tenho que fazer um esforço para me mexer durante todo o ano, sem pausas nem desculpas!

saltar do sofá para estas coisas é demasiado agressivo, mas não consigo evitá-lo, devo ser masoquista lol

 

wrap up!