Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

lost in wonderland

lost in wonderland

Na semana passada aprendemos que…

Novembro 15, 2023

[ahem... este post (e os que se seguem a este) era para ter sido publicado a meio de julho, mas a preguiça para escrever tem sido incrível. provavelmente mais tarde mudo a data lol
já agora, um obrigado muito especial a quem ainda passa por aqui para ver se estou viva 😅🙏]

— as nossas autoestradas são melhores que as espanholas (mil vezes as nossas, mesmo que sejam pagas a peso de ouro);

— atravessar espanha dá-nos uma boa ideia sobre o quão pequeno o nosso pais é;

— o ferry que liga bacelona à sardenha não é para fracos de estômago, e não me estou a referir a quem enjoa quando anda de barco;

— ainda não foi desta que barcelona conseguiu cativar;

— definitivamente tenho mau karma com barcelona;

— afinal ainda é possível fazer férias de forma espontânea;

— a paisagem interior da sardenha é incrivelmente parecida à de portugal. entre o alentejo, a serra da arrábida, da estrela e o gerês, todo aquele cenário é estranhamente familiar;

— a ilha é bem maior do que “parece”;

— a malta da sardenha é muito fixe e descontraída;

— os tugas são mais parecidos aos italianos que aos espanhóis;

— os italianos são uns g’anda malucos ao volante;

— a coisa mais cara na sardenha é o estacionamento;

— é super difícil encontrar caixotes de lixo nas ruas;

— definitivamente, tenho um fetiche por supermercados estrangeiros;

— tá explicado porque é que não se vêm muitos italianos no algarve;

— o paraíso está aqui tão perto;

Vai com Deus, 2022

Dezembro 31, 2022

2022 foi um bocadinho mais interessante que 2021, talvez pelo regresso à normalidade. a pandemia já começa a parecer uma coisa longínqua, apesar do covid ainda andar por aí bastante activo.

logo em janeiro deu-me um vaipe e comecei a ter aulas de padel, mas ao fim de um ano ainda não jogo nada por aí além. más línguas dirão que sou preguiçosa e não jogo com frequência 🫣 

em março meti o aparelho nos dentes. nove meses depois já tenho os dentes da mandibula todos alinhadinhos, e a cara mais larga 😁 amo o meu sorriso "novo", e suspeito que ainda vai ficar mais giro.
para quem detestava ir ao dentista, a coisa tornou-se tão normal que agora vou lá como quem vai ao supermercado 😆

ainda não foi este ano que viajamos para fora, mas já começo a ter saudades de ir laurear a pevide além-fronteiras. o algarve está caríssimo e a zona da ria formosa, por muito fixe que seja, já começa a ser mais do mesmo (afinal de contas, temos ido para lá todos os anos desde 2015).

mas passeamos bastante este ano: três idas ao porto. uma semana de férias no alentejo para curtir a primavera, mais um fim-de-semana em agosto com uma das sobrinhas, para levá-la ao observatório do alqueva. várias idas para a ria formosa, entre elas uma semana em junho e uns dias no final de agosto. e um fim-de-semana na beira interior para matar as saudades de longroiva. not bad!

fartei-me de ir a concertos, parar tirar a barriga de misérias dos dois anos de seca. apanhei covid logo num dos primeiros, mas não tive grandes stresses com o bicho. se voltei a apanhar depois disso, não faço a minima ideia, só sei que nunca mais tive cuidados 😆

voltamos ao ginásio, mas foi sol de pouca dura… tipo, dois meses lol

voltei a matar grandes quantidades de plantas decorativas e atirei a toalha ao chão. das duas uma, ou a casa que não tem um ambiente lá muito bom para as plantas, ou sou realmente um desastre a jardinar... anyway, troquei as plantas reais por plantas artificiais da lego.

para terminar o ano em grande, fiz a minha primeira tatuagem (a sério). como tem que ser tudo em grande comigo, fiz uma tatuagem enorme, colorida, que demorou cerca de 6 horas a torturar tatuar, e que terminou comigo a desmaiar quando já estava a ser embalada em celofane. já pelou, mas apesar de me dar umas comichões malucas, está a sarar sem problemas. entretanto já comecei a pensar na próxima muhahahah

aqui fica a melhor parte do ano, vê-lo resumido em meia duzia de minutos 🤩

Tirar a barriga de misérias

Novembro 28, 2022

depois de 3 anos sem assistir a um único concerto (o último foi o conan osiris no musicbox em março de 2019, e o homem foi a tool em julho mas eu não o acompanhei), a segunda metade deste ano para cá tem sido um fartar vilanagem.

nos últimos 5 meses, assisti a 11 concertos (e mais uns quantos, mas estes são os que interessam):

tame impala
depois de os ter visto pela primeira vez ao vivo no NOS alive em 2016, e de ter ficado a saber-me a muito pouco, eis que no regresso à normalidade os gajos vêm ao primavera sound no porto e mandam uma puta dum concerto, que tenho cá para mim que foi o melhor do ano. o som tava brutal e a iluminação de palco poderosaaaaaa. foda-se, que concerto épico!!! ❤️

tame impala

beck
tava a contar vê-lo pela primeira vez no NOS primavera sound de 2020, mas o covid decidiu cagar nos planos da malta. felizmente ele não desistiu da ideia de dar um saltinho ao porto, e eu estava na fila da frente para recebe-lo 😎.
cantou muitos clássicos, mas nenhuma das minhas favoritas mais recentes. 

beck

grimes
gosto de algumas músicas da moçoila, mas é à veia nerd dela que acho mais piada, e foi isso que me levou a assistir ao dj set dela no primavera sound. fartou-se de passar clips de anime no VJ, inclusive sailor moon. o homem passou-se lol

gorillaz
mandaram um show do caneco, e o beck ainda lhes fez companhia para uma música. adorei. os “clássicos” seguiam-se uns atrás dos outros, tanta energia naquele palco, e naquela multidão também.
fiquei chocada com a aparência do damon albarn. a imagem que tinha dele da memória era daquele puto nos seus 20 e poucos, mas perante os meus olhos estava um tipo já bem lançado na casa dos 50 (ainda que com estilo de puto), e o meu cérebro tava com dificuldades a processar a realidade.
se não tivesse apanhado covid nos dias anteriores, aqui ia apanhar de certeza, porque passei metade do concerto à procura do homem naquele oceano de gente. foi tipo encontrar uma agulha num palheiro, mas com a ajuda de uns mapas desenhados à pressão no telemóvel, consegui.

gorillaz

the smile (thom yorke)
mesmo não conhecendo o seu mais recente projecto, thom yorke é thom yorke, seja em que registo for. 

the smile - thom yorke

foals
gosto de umas quantas musicas deles, mas o concerto no super bock super rock não me convenceu. não me chateeou muito, que arranjei bilhetes super baratos por causa daquela mudança repentina do meco para lisboa. mais tarde fecharam o festival com um dj set que teve mais piada pela descontracção deles, do que pela música que estavam a tentar passar. era a banda toda e mais alguns no palco, a tentar meter música ao mesmo tempo que emborcavam cerveja.

woodkid
só gosto prai de duas ou três musicas deste moço, mas o gajo tinha ali um setup porreiro e umas projecções à maneira. valeu a pena a espera para ouvir a minha favorita cantada ao vivo.

woodkid

jamie xx
depois de duas vezes a ouvi-lo atrás do palco, do lado de fora do recinto, finalmente corrigi essa falha. transformou a arena numa pista de dança gigante, com alta jogo de luzes. não consegui apanha-lo desde o inicio e ficou a saber-me a pouco.

kraftwerk
estes andam a competir com os chemical brothers pelo número de concertos que já assisti, esta foi a quarta vez. estreei-me no kalorama para ir vê-los (e aos que vieram a seguir), e o som estava incrível, como de costume. foi a primeira vez consegui apreciar decentemente a projecção 3D, provavelmente porque estava ao nível do palco, e a uma certa distância. 

kraftwerk

chemical brothers
estes manos partem sempre a loiça toda. é a banda que mais vezes já vi ao vivo (foi a 6ª vez, se não me falha a memória), e cada concerto é sempre uma granda doidice, acabo sempre com os joelhos feitos em papa.

alt-j
estavam no cartaz do mad cool de 2020 e eu tinha bilhetes — comprados no final de 2019, só que covid cenas... este ano também estavam no cartaz do mad cool, mas o resto do cartaz era uma treta, então decidimos vender os bilhetes. podia te-los visto no alive, mas eu detesto o alive. restava-me esperar por outra oportunidade... que surgiu poucas semanas depois, com o anuncio de um concerto em novembro.
foi muito, muito bom! só não gostei da sala (campo pequeno), tinha sido ainda melhor se tivesse sido no coliseu, mas prontes. tocaram as minhas músicas favoritas praticamente todas, é o que interessa.



faltou a billie eilish, mas os concertos da tour europeia esgotaram em menos de merda 😞 tê-la-ia visto em 2020, se não fosse o coronapocalypse...

RIP Sodastream

Julho 01, 2022

matei a minha sodastream 😭😭😭

ok ok, se calhar o modelo mais barato não estava preparado para uma utilização tão intensiva... mas sabia lá eu que lhe ia dar tanto uso, e que se calhar uma cena feita em plástico ranhoso não ia aguentar descarregar quase dois cilindros de gás por mês? 😑

tava no processo preparar mais uma garrafita de água gasosa quando ouvi um estalo vindo debaixo dos meus dedos... e de repente o gás saía para fora em vez de ser forçado a ficar na água 😱 nooooo!!!
fiz um choradinho e o homem desmontou a máquina a ver se dava sacado um macgyver, mas a peça tava partida... e não tou a ver a marca ter aquelas pecinhas para substituir, ainda por cima de um modelo aparentemente descontinuado. 

já mandei vir uma nova... que não é da sodastream, mas as garrafas de gás servem 🤫 nos entretantos tou de volta às paletes de água com gás...

EDIT: já cá canta! e assim à primeira vista acho que fiquei melhor servida  💪

 

mysoda, btw

823 dias!!!

Junho 28, 2022

foi o tempo que o bicho demorou* a apanhar-me muahahhaha

em boa verdade, o mérito nem sequer é do vírus, é meu — que me fui atirar para cima dele. literalmente.

acontece que há uns meses os astros alinharam-se, e de repente, tame impala, beck, e gorillaz estavam no mesmo cartaz. ora, a minha pessoa, que já não calçava num concerto havia 3 anos!!! É LÓGICO que não ia desperdiçar a oportunidade. o covid que vá pro crl.

apesar de já andar muito relaxada nas medidas de protecção, passei a maior parte do tempo no festival de máscara. assisti aos concertos de máscara (coisa que não é particularmente agradável). à minha volta, parecia que a pandemia tinha sido uma alucinação colectiva. raras eram as máscaras, e o ajuntamento social estava fortíssimo.

mas foram três dias de festival muuuuuito fixes no porto. assim de repente, tame impala vingou o concerto de 2016 no alive — fooooda-se que concertalhão do crl. vi beck agarrada à grade. passei 2/3 do concerto de gorillaz a navegar no naquele oceano de gente à procura do homem, enquanto tentava não perder pitada do espetáculo. foi brutal!

no domingo acordo toda entupida, com um mega ataque de sinusite. nada de anormal, afinal tinha acabado de passar 3 dias a inalar pó e fumo. tomei um anti-histamínico e não pensei mais no assunto.
à tardinha, regressada do porto bateu-me assim alta cansaço. ah poizé criatura, já não tens idade para passar três noites seguidas aos saltos, agora vais pagar caro que te lixas. deixei-me dormir cedo e não pensei mais no assunto.

no dia seguinte acordo toda zonza, sem energia nenhuma, e com uma dor no fundo das costas que me é bastante familiar em situações de gripe e merdas do género… oi! 

peço ao homem que dê um saltinho à farmácia buscar testes. mais por descargo de consciência que outra coisa qualquer... afinal tanto andei quase sempre de mascara na tromba.

sento-me tranquilamente, a fazer o procedimento minucioso de escarafunchar as minhas próprias narinas, e a preparar o exsudado nasofaríngeo para o teste, convencidíssima que ia dar negativo. deito as gotas no cartão do teste. aquilo começa lentamente a ensopar, e assim que passa a marca do T… TAU!!

a minha cara quando aparece a linha vermelha, bem viva e super definida, a não deixar qualquer margem para dúvidas. nem sequer esperou até chegar à linha de controlo… puta que pariu. apanhei corona. lol

bom, agora é lidar. ibuprofeno para o bucho para dar conta da dor nas costas, e passei o resto dia dia meio acordada, meio a dormir. no dia seguinte, a energia continuava baixa, tive ali um momento que a temperatura foi aos 38.5º mas passado umas horas decidi tomar um benuron para acabar com a rebaldaria. entretanto o apetite foi-se, mas isso até foi bem vindo. ao terceiro dia, apenas notei falta de energia. ao quarto, tava fina. não cheguei a ter tosse nem perdi o paladar ou o olfacto. aliás, já tive ataques de rinite bem piores. 

sim, o homem também apanhou. provavelmente fui eu que lhe peguei. sharing is caring lol

já passou, e agora posso assistir aos restantes concertos deste verão descansada da vida ha ha ha

* desde o dia em que me fechei em casa

Sorriso metálico

Março 30, 2022

então isa, conta lá, como tá a ser essa experiência de ter os dentes atrás das grades. 

já que o universo decidiu que eu havia de passar horas intermináveis deitada de boca aberta em dentistas, porque não subir a parada dois ou três níveis acima? go big or go home!

assim de repente, acho que já tive ideias mais iluminadas... não só parece que tenho a boa cheia da palha d’aço, como tou a falar de uma forma esquisita, como ao (tentar) mastigar, parece que os dentes se vão escangalhar todos... 

…e comer nem é o maior dos problemas, limpar a comida que fica lá encalhada, é que é o verdadeiro desafio. bochechar água só não remove nem 10% dos restos. fica ali tanta coisa presa, que se não me fizesse uma impressão maluca ter cenas entaladas nos dentes, guardava para a ceia. 

às contas disto, o irrigador oral passou a ser o meu melhor amigo, máquina mai’linda de sua dona. e ainda assim às vezes não chega, e tenho que ir ao escovilhão ou ao fio dentário. e até flossar, que dantes era uma actividade absolutamente trivial, tornou-se num procedimento minucioso e bastante árduo — fazer passar o fio entre os dentes e o arame, usar o fio com extra cuidado, sem puxões bruscos para não arrancar nenhum bracket, e tira-lo ainda com mais cuidado para não ficar todo enleado naquela cangalhada toda… mais parece que estou a desactivar uma bomba, cacete!

e nem vamos falar naqueles dois sisos que tive que tirar de uma só vez, antes de meter o aparelho... um deles era provavelmente o dente em melhores condições que tinha na boca 😠

…MAS!

está a ser definitivamente interessante, por que mais uma vez, a curiosidade cientifica sobrepõe-se à tortura quase medieval do processo — tenho os dentes todos açaimados, uns a serem puxados para baixo, outros para trás, outros para a frente, outros para os lados. e ainda tou na parte mais simples do processo, que é alinha-los, depois há que corrigir a mordida e arranjar espaço para 3 implantes, e aí é que vão ser elas.. mini-implantes, elásticos e whatnot. vão ser (segundo as estimativas) dois anos muito engrassades . a quantidade de brackets que tenho com “gancho” deixa adivinhar momentos muito agradáveis que estão para vir 😬

tenho passado montes de tempo no youtube, a ver vídeos sobre aparelhos e timelapses dentes a serem alinhados e aquilo é incrível, parece magia negra. nenhum caso parece ser suficientemente complicado para aquela cangalhada de cavilhas, arames e elásticos, que no final, o dentes ficam todos direitinhos e perfeitamente alinhados.

além disso, tenho a certeza absoluta que vou ficar ultra contente com o resultado, que eu detesto abrir a boca e ver os dentes todos tortos. nenhum incómodo do mundo se vai meter entre mim e o meu sorriso perfeito hi hi hi

Fevereiro a ser fevereiro

Fevereiro 12, 2022

até gostava de dizer que por acaso até já tinha saudades das diarreias absurdas deste mês.. mas por acaso não tenho. nenhumas!

começou por se manifestar na bateria do carro (a de arranque, não a híbrida — menos mal lol). assim de repente, só "pegava" se levasse um boost. por sorte temos uma espécie de powerbank on steroids, que tanto serve para dar energia à bomba eléctrica da prancha de SUP, como tem umas pinças para arrancar baterias 😅. definitivamente, das melhores compras de 2021.

depois de uma semana nisto, vai à oficina e leva uma bateria nova free of charge, because garantia, que o carro ainda nem dois anos tem.

saímos da oficina e fomos ao centro da cidade, que o homem tinha que ir ao escritório buscar uma cena. vamos a deslizar pelo parque de estacionamento subterrâneo, quando notámos o ruído.. "temos uma pedra no cardado", diz o homem.

carro estacionado, vai para sacar a pedra e.... SURPRISE!! é um parafuso atanchado no pneu 😑

YAY.

o sistema de pressão dos pneus (ainda) não se queixou, e mesmo que o estrago não seja muito extenso, n'a pas de garantia para ninguém nestas merdas... fora o tempo que vou ter que perder para arranjar o pneu. e eu a pensar que nem tão cedo voltava ali pros lados do beato lol

tá giro... e ainda nem a meio do mês chegamos 😆

'Le me

tem idade suficiente para ter juízo, embora nem sempre pareça. algarvia desertora, plantou-se algures na capital, e vive há uma eternidade com um gajo que conheceu pelo mIRC.

no início da vida adulta foi possuída pelo espírito da internet e entregou-lhe o corpo a alma de mão beijada. é geek até à raiz do último cabelo e orgulha-se disso.

offline gosta muito de passear por aí, tirar fotografias, ver séries e filmes, e (sempre que a preguiça não a impede) gosta praticar exercício físico.

mantém uma pequena bucket list de coisas que gostava de fazer nos entretantos.

'Le liwl

era uma vez um blog cor-de-rosa que nasceu na manhã de 16 de janeiro, no longínquo ano de 2003, numa altura em que os blogs eram apenas registos pessoais, sem pretensões de coisa alguma. e assim se tem mantido.

muitas são as fases pelas quais tem passado, ao sabor dos humores da sua autora. para os mais curiosos, aqui ficam screenshots das versões anteriores:
#12   #11   #10   #9   #8   #6   #5   #4

seguir nos blogs do SAPO

email: [email protected]

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

'Le Archive

  1. 2024
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2023
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2022
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2015
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2014
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2013
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2012
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2011
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2010
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2009
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2008
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2007
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2006
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2005
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2004
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2003
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D