Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

lost in wonderland

lost in wonderland

A internáite só me dá más notícias I

Março 15, 2013

STAR WARS VII

 

não entrarás em pânico por causa da brigada do reumático ter sido convidada a integrar no novo "episódio" de star wars… não entrarás em pânico por causa da brigada do reumático ter sido convidada a integrar no novo "episódio" de star wars… não entrarás em pânico por causa da brigada do reumático ter sido convidada a integrar no novo "episódio" de star wars… não aprenderam nada com o indiana jones e o reino do crl qu'os f*da??

 

LARGUEM A MERDA DA TRILOGIA!!

 

lá por andar meio off the grid não quer dizer que não acompanhe todas as desgraças que acontecem por esse mundo fora :P

E a menina, o que é que faz?

Março 07, 2011

isto das novas profissões é muito giro mas também tem o seu q.b. de ingrato..

por exemplo,

quando me perguntam a profissão não sei quem fica mais constrangido..se sou eu, que tenho de responder, se é a outra pessoa que tem de perceber o que acabei de dizer. 

"faço sites pra internet..." ajudo.

para logo de seguida receber um olhar incrédulo do meu interlocutor, e ficar com a sensação que ele acha que tenho uma profissão "de brincar"..

e encontrar a profissão no "sistema"? simplesmente não existe..

a maioria opta por escrever/escolher "designer" ou informático (ai o sistema, o sistema)..

e nem vou falar das pessoas mais velhas, tipo os meus avôs.. sabem lá eles o que é que eu faço pra ganhar a vida. e mesmo que eu explique, devem ficar na mesma. não os culpo claro, são outros tempos.

às vezes até eu fico a pensar quando será que cresço e arranjo um ofício "a sério"..

no entanto, não deixa de ser uma profissão de valor. afinal de contas, somos nós quem define a cara da internet e estamos na linha da frente do que toca a tornamos a internet num sítio mais agradável e "usavel" para o resto do mundo.

e sim, às vezes até a mim me pode parecer que estou a brincar no photoshop. mas todos os conceitos estão ali a fervilhar na minha cabeça. não desenho um traço ou um botão sem pensar nas suas consequências, não escolho cores nem arrumo o texto ao acaso, nem uso imagens sem significado nenhum. pode não parecer, mas é quase uma ciência.

e não, nem sempre é fácil. aliás, existem alturas complicadas, em que nada parece fazer sentido. o nosso trabalho é visto por centenas ou milhares de pessoas. acreditem que agradar a gregos e troianos é uma tarefa árdua, se não impossivel, e isso por vezes é frustrante.
já para não falar nas limitações que alguns projectos têm e as soluções engenhosas que temos que encontrar para contorna-las.

cada vez temos mais plataformas com que nos preocupar. se antes eram só os PCs, agora temos os smartphones (e dumb também), os tablets, as televisões com internet.. and so on.

e todos os dias aparecem ferramentas, metodologias e tendências novas, tantas, que por vezes torna-se difícil acompanhar. 

hoje tirei folga, mas 70% das tabs abertas que tenho no chrome estão relacionadas com a minha profissão, e o google reader não pára de me dar mais para ler.
não navego por um site sem lhe tirar as medidas, sem o analisar, sem perceber o que está bem feito e o que podia estar melhor e tirar notas mentais. está-me entranhado.. e eu gosto disso e tenho orgulho no que faço!

e no entanto, para a maioria das pessoas, não deixa de parecer uma brincadeira.. e nós acabamos por não sentir o nosso trabalho recompensado.. 

é tramado..

Vamos lá esclarecer uma coisa...

Maio 11, 2010

já tive pa escrever este post muitas vezes mas acabo sempre por desistir, acho que não vale a pena estar perder a tempo com amendoins.. mas desta vez lá vou ter mesmo que atirar a pedra que já tou farta :P

então, segundo o gajedo inflamado da blogosfera, o tipo de relação que tenho com o meu gajo, que está a poucos meses de completar 9 anos de existência, é uma farsa. na realidade estamo-nos a cagar um pro outro e já só estamos juntos apenas por comodismo, pois não temos coragem de admitir que a nossa relação já deu o que tinha a dar.. se é que alguma vez foi alguma coisa de jeito!
é que só pode, já que nestes quase 9 anos de vida em comum NUNCA tivemos uma discussão, coisa que muita menina por essa internet fora considera inadmissível numa relação. 

não nego, existem momentos tensos sim - é normal - mas as coisas sempre se resolveram a conversar, porque é a conversar que a gente se entende. já devo ter dito por aqui que ABOMINO discussões e fujo delas a sete pés, IMHO quando uma pessoa desata a berrar a quente só pode dar em merda. se por outro lado, fizermos as coisas com calma e ponderação, o resultado é mais eficaz e a porcaria custa menos a limpar.
se fosse para estar a sofrer numa relação mal amanhada, acreditem que preferia estar sozinha, já dizia o ditado..

tem tudo a ver com a nossa personalidade e com a forma como encaramos a vida, e eu cá encaro a minha de uma forma bem simples e prática, sem dramas.. omg como eu ODEIO dramas....
se há pessoas gostam de complicar e de discutir para marcarem a sua posição isso é lá com elas, desde que não venham cá pró pé de mim, que me começam logo as dores de estômago.

por acaso tive sorte de apanhar um gajo que se orienta pelo mesmo ponto cardeal que eu, isto é logo meio caminho andado, porque não perdemos muito tempo com ajustes, é sempre a andar. quanto àquelas pequenas merdas que volta e meia se atravessam no caminho, e que em muitos casos rebentariam logo em bronca, costumam ser resolvidas sem levantar muita onda.. e quem tiver que dar o braço a torcer, dá-lo naturalmente, chatices é que não! 

há um exemplo que acontece constantemente. sempre que vamos para o algarve (quem diz algarve, diz outro sitio qualquer), é quase certo que 15mn depois de entrar no carro, ele já está a dormir... ora 2 horas e tal de viagem à noite quase sempre sozinha é bem chato, até porque às vezes também eu tou a cair de sono. mas esta foi uma batalha que decidi perder logo ao início.. não vale a pena andar sempre a implicar com ele se ele não se aguenta a acordado... nunca o obriguei a ficar acordado nem nunca o obriguei a tirar a carta para repartir o volante comigo. nalguma coisa ele me há-de ter que compensar depois lol

claro que isso não me impede de pisar as guias sonoras da AE ou passar por cima de um buraco deliberadamente quando quero que ele acorde para lhe perguntar alguma coisa ou simplesmente encoste a cabeça para trás para não ir com ela pendida, que me faz uma confusão do caraças.

se acham que gostamos menos um do outro por sermos assim, e que isso não faz de nós um casal verdadeiro, olha.. azarucho!

por isso, minhas queridas, da próxima vez que escreverem posts mártires sobre relacionamentos, não digam que casais que não discutem "só pode ser mau sinal" ou "estão a esconder algo" ou "não podem ser verdadeiros", lembrem-se sempre que excepções à regra *do exist*, e nós, os outros não temos culpa das vossas escolhas ou decisões :P

'Le me

tem idade suficiente para ter juízo, embora nem sempre pareça. algarvia desertora, plantou-se algures na capital, e vive há uma eternidade com um gajo que conheceu pelo mIRC.

no início da vida adulta foi possuída pelo espírito da internet e entregou-lhe o corpo a alma de mão beijada. é geek até à raiz do último cabelo e orgulha-se disso.

offline gosta muito de passear por aí, tirar fotografias, ver séries e filmes, e (sempre que a preguiça não a impede) gosta praticar exercício físico.

mantém uma pequena bucket list de coisas que gostava de fazer nos entretantos.

'Le liwl

era uma vez um blog cor-de-rosa que nasceu na manhã de 16 de janeiro, no longínquo ano de 2003, numa altura em que os blogs eram apenas registos pessoais, sem pretensões de coisa alguma. e assim se tem mantido.

muitas são as fases pelas quais tem passado, ao sabor dos humores da sua autora. para os mais curiosos, aqui ficam screenshots das versões anteriores:
#12   #11   #10   #9   #8   #6   #5   #4

seguir nos blogs do SAPO

email: [email protected]

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

'Le Archive

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2015
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2014
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2013
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2012
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2011
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2010
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2009
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2008
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2007
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2006
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2005
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2004
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2003
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D