Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

lost in wonderland

lost in wonderland

Tirar a barriga de misérias

Novembro 28, 2022

depois de 3 anos sem assistir a um único concerto (o último foi o conan osiris no musicbox em março de 2019, e o homem foi a tool em julho mas eu não o acompanhei), a segunda metade deste ano para cá tem sido um fartar vilanagem.

nos últimos 5 meses, assisti a 11 concertos (e mais uns quantos, mas estes são os que interessam):

tame impala
depois de os ter visto pela primeira vez ao vivo no NOS alive em 2016, e de ter ficado a saber-me a muito pouco, eis que no regresso à normalidade os gajos vêm ao primavera sound no porto e mandam uma puta dum concerto, que tenho cá para mim que foi o melhor do ano. o som tava brutal e a iluminação de palco poderosaaaaaa. foda-se, que concerto épico!!! ❤️

tame impala

beck
tava a contar vê-lo pela primeira vez no NOS primavera sound de 2020, mas o covid decidiu cagar nos planos da malta. felizmente ele não desistiu da ideia de dar um saltinho ao porto, e eu estava na fila da frente para recebe-lo 😎.
cantou muitos clássicos, mas nenhuma das minhas favoritas mais recentes. 

beck

grimes
gosto de algumas músicas da moçoila, mas é à veia nerd dela que acho mais piada, e foi isso que me levou a assistir ao dj set dela no primavera sound. fartou-se de passar clips de anime no VJ, inclusive sailor moon. o homem passou-se lol

gorillaz
mandaram um show do caneco, e o beck ainda lhes fez companhia para uma música. adorei. os “clássicos” seguiam-se uns atrás dos outros, tanta energia naquele palco, e naquela multidão também.
fiquei chocada com a aparência do damon albarn. a imagem que tinha dele da memória era daquele puto nos seus 20 e poucos, mas perante os meus olhos estava um tipo já bem lançado na casa dos 50 (ainda que com estilo de puto), e o meu cérebro tava com dificuldades a processar a realidade.
se não tivesse apanhado covid nos dias anteriores, aqui ia apanhar de certeza, porque passei metade do concerto à procura do homem naquele oceano de gente. foi tipo encontrar uma agulha num palheiro, mas com a ajuda de uns mapas desenhados à pressão no telemóvel, consegui.

gorillaz

the smile (thom yorke)
mesmo não conhecendo o seu mais recente projecto, thom yorke é thom yorke, seja em que registo for. 

the smile - thom yorke

foals
gosto de umas quantas musicas deles, mas o concerto no super bock super rock não me convenceu. não me chateeou muito, que arranjei bilhetes super baratos por causa daquela mudança repentina do meco para lisboa. mais tarde fecharam o festival com um dj set que teve mais piada pela descontracção deles, do que pela música que estavam a tentar passar. era a banda toda e mais alguns no palco, a tentar meter música ao mesmo tempo que emborcavam cerveja.

woodkid
só gosto prai de duas ou três musicas deste moço, mas o gajo tinha ali um setup porreiro e umas projecções à maneira. valeu a pena a espera para ouvir a minha favorita cantada ao vivo.

woodkid

jamie xx
depois de duas vezes a ouvi-lo atrás do palco, do lado de fora do recinto, finalmente corrigi essa falha. transformou a arena numa pista de dança gigante, com alta jogo de luzes. não consegui apanha-lo desde o inicio e ficou a saber-me a pouco.

kraftwerk
estes andam a competir com os chemical brothers pelo número de concertos que já assisti, esta foi a quarta vez. estreei-me no kalorama para ir vê-los (e aos que vieram a seguir), e o som estava incrível, como de costume. foi a primeira vez consegui apreciar decentemente a projecção 3D, provavelmente porque estava ao nível do palco, e a uma certa distância. 

kraftwerk

chemical brothers
estes manos partem sempre a loiça toda. é a banda que mais vezes já vi ao vivo (foi a 6ª vez, se não me falha a memória), e cada concerto é sempre uma granda doidice, acabo sempre com os joelhos feitos em papa.

alt-j
estavam no cartaz do mad cool de 2020 e eu tinha bilhetes — comprados no final de 2019, só que covid cenas... este ano também estavam no cartaz do mad cool, mas o resto do cartaz era uma treta, então decidimos vender os bilhetes. podia te-los visto no alive, mas eu detesto o alive. restava-me esperar por outra oportunidade... que surgiu poucas semanas depois, com o anuncio de um concerto em novembro.
foi muito, muito bom! só não gostei da sala (campo pequeno), tinha sido ainda melhor se tivesse sido no coliseu, mas prontes. tocaram as minhas músicas favoritas praticamente todas, é o que interessa.



faltou a billie eilish, mas os concertos da tour europeia esgotaram em menos de merda 😞 tê-la-ia visto em 2020, se não fosse o coronapocalypse...

1 comentário

Comentar post

'Le me

tem idade suficiente para ter juízo, embora nem sempre pareça. algarvia desertora, plantou-se algures na capital, e vive há uma eternidade com um gajo que conheceu pelo mIRC.

no início da vida adulta foi possuída pelo espírito da internet e entregou-lhe o corpo a alma de mão beijada. é geek até à raiz do último cabelo e orgulha-se disso.

offline gosta muito de passear por aí, tirar fotografias, ver séries e filmes, e (sempre que a preguiça não a impede) gosta praticar exercício físico.

mantém uma pequena bucket list de coisas que gostava de fazer nos entretantos.

'Le liwl

era uma vez um blog cor-de-rosa que nasceu na manhã de 16 de janeiro, no longínquo ano de 2003, numa altura em que os blogs eram apenas registos pessoais, sem pretensões de coisa alguma. e assim se tem mantido.

muitas são as fases pelas quais tem passado, ao sabor dos humores da sua autora. para os mais curiosos, aqui ficam screenshots das versões anteriores:
#12   #11   #10   #9   #8   #6   #5   #4

seguir nos blogs do SAPO

email: [email protected]

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

'Le Archive

  1. 2022
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2015
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2014
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2013
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2012
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2011
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2010
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2009
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2008
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2007
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2006
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2005
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2004
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2003
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D